Trama Mortal - TRF2
Saiba Mais... Petição ao Presidente do TRF2
Para: garibaldi.alves@senador.gov.br, presidencia@stm.gov.br, dep.rauljungmann@camara.gov.br Cc: dijur@stm.gov.br, alosenado@senado.gov.br Data: Terça-feira, 14 de Outubro de 2008, 3:21 =PETIÇÃO-LIVRE sendo enviada também pelos sites oficiais da Câmara e Senado=

UMA TRAMA MORTAL

Excelentíssimos, conforme já lhes escrevi PEDINDO AJUDA e AÇÕES neste caso extremamente grave, estou lhes dando documentos que lhes possibilitam TER CONSCIÊNCIA PLENA de que falo a Verdade e mereço uma SOLUÇÃO DEFINITIVA nisso!

O Plano: mesmo eu tendo direito ao Ponto-Zero (prisão de policiais) me mandaram para o Manicômio Judiciário, preso, para AVERIGUAR MINHA SANIDADE, num prazo de 45 dias, o que já seria mortal, mas não satisfeitos e já que eu não morria nem enlouquecia, iam prorrogando aos picadinhos, de forma totalmente irregular, o que se extendeu até, pasmem, DEZEMBRO DE 2003.

Os Documentos que ora apresento:

- A Medida aplicada pelo juiz Nobre Matta visando violar o Habeas Corpus do dr. Sérgio Schwaitzer, e de quebra... acabar com minha vida ou sanidade mental. Sinceramente, NUNCA pensei numa Democracia um juiz fazer uma coisa dessas e acabar ganhando de presente uma Vara Criminal. Ele agora é Titular da 9a. Vara Federal Criminal. E neste documento, quem conhece os fatos, constata facilmente o escárnio, o deboche e a maldade ali postos por ele, em palavras. E em atos!

- O protesto, histórico e dármico, do Juiz Federal Dr. Flávio Oliveira Lucas, o qual foi "delapidado" pela mesma quadrilha - agiram como quadrilha, sim -, e daí nem o processo nem voltou mais para este juiz correto e justo.

- Ofício e Despacho que recebi do CNJ, de um juiz que acredito tratou é de abafar o caso para não ir adiante. Considero a decisão dele, os termos inclusive, um escárnio.

- Os Mortos que se apiedaram de mim, homenagem. E nela constam mais dados sobre a trama.

- Cópia do Email ao CNJ emitido recentemente com os dados básicos deste caso.

PEÇO AJUDA - PEÇO JUSTIÇA








Para: Corregedoria@cnj.gov.br, Vice.Presidencia@stj.gov.br, CERIMONIAL@STF.GOV.BR, cnj@cnj.gov.br
Data: Sexta-feira, 15 de Agosto de 2008, 11:24

Ao Corregedor Dr. Kiling do CNJ e Ouvidoria do STJ - RD 352 - PROTESTO PÚBLICO

Excelentíssimos, - MEU ÚLTIMO EMAIL AO JUDICIÁRIO!!!

Estou, diante de todos que tenho escrito, manifestando minha total desesperança em suas ações, as quais me fazem lembrar a Sentença da Juíza Maria Elisa Lubanco Montenegro, onde no ano 2000 registrava sua estranheza em eu procurar o MP por cerca de 3 anos seguidos, nunca ser ouvido, sequer contestado, e acabando eu Denunciado! - Isto no Caso NET TV A CABO, onde eu provava ao MP/RJ, e Autoridades, o Roubo de Energia Elétrica generalizado praticado por esta empresa. E ela me Absolveu por IMPROCEDÊNCIA DA DENÚNCIA.

Como agiu o MP/RJ neste caso? Exatamente como agiu a PR de FHC quando do caso Microsoft: Silêncio, Omissões Inteligentes, Provocações Indiretas, Prevaricações Perfumadas, e aí... isto o levará ao estresses e ele cometerá algo que poderemos enquadrá-lo!

E tiverem sucesso: fui preso ao simular uma inofensiva demonstração do Perigo dos Emails.

Os excelentíssimos parecem agir da mesma forma, não em suas pessoas, mas a tal Instituição que representam.

E aí??? Já escrevi até pro Gilmar Mendes... e aí??? Que faço? Viola no Saco?! Não recebo sequer um telefonema, unzinho... mas recebo telefonemas de Ameaças de Morte!

VEJAM A PETIÇÃO QUE PROTOCOLEI FORMALMENTE NO CNJ, Resultou numa RD 352/2006
Porém o Juiz que a analisou, aí na Corregedoria do CNJ, deu um Despacho que é um Autêntico Atestado de Insanidade Mental... Ou pra mim ou pra ele?!
Disse que não entendia nada do que escrevi, que estava tudo confuso, desprovida de qualquer probatório... e que Arquivassem Sumariamente. E assinou... com uns pontinhos ao final da assinatura, diferente de sua assinatura no ofício que acompanhava a mesma resposta. Deboche? Não sei.
AVISO: Não foi o Dr. Kiling que a despachou, não! Foi outro juiz!

PEÇO QUE vejam o que REQUEIRO ao CNJ ABAIXO, NA TAL PETIÇÃO:

Ser Ouvido a Termo, acreditando, eu, que MANDARIAM um Delegado Federal ou um Corregedor Local me ouvir.

A PETIÇÃO DO "LOUCO", ABAIXO: - e eu que vivo com medo, MUITO MEDO MESMO e até AMEAÇADO DE MORTE:

-Que País é Esse? Que País é esse?

Registrada no CNJ, em Brasília: RD 352/2006
Excelentíssimo Ouvidor e Corregedor do Conselho Nacional de Justiça

Trago ao vosso superior conhecimento o meu desejo irrevogável de ver esclarecida a situação que coloco abaixo, onde aponto suspeitos e mandantes, com indícios bem fundamentados, e que melhor poderão ser clareados caso iniciem o que há muito já deveria ter sido iniciado: UMA RIGOROSA APURAÇÃO DE TODO O OCORRIDO!

Violar um Sigilo Bancário é pior do que Violar um Habeas Corpus de um Tribunal Regional???

OS FATOS

Em 7 de julho de 2003 o Desembargador Sérgio Schwaitzer concedeu-me Habeas Corpus, e nem assim fui liberto de imediato, pois houve uma reunião no TRF2, acredito que coordenada pelo atual Presidente, Desembargador Frederico Gueiros, de sobrenome idêntico ao do Procurador Artur Gueiros, o mesmo, entre outros, que era contrariado no Habeas Corpus concedido.

Nesta reunião ficou decidido que o Habeas Corpus da 6a. Turma do TRF2 seria vilependiado.

Uma Procuradora da República, de nome Thays, entraria com um pedido de Medida Cautelar Inominada, após receber "ofícios" combinados, oriundos da 2a. Vara Federal Criminal, da Corregedoria e Presidência do TRF2. Ofícios que faziam parte de uma trama a me manter preso, ser morto ou enlouquecido.

Foi escolhido o dia que o Juiz José Eduardo Nobre Matta estaria de "plantão", para executarem a sordidez planejada.

Assim, dia 10 de julho de 2003, fui posto em Liberdade, para, pela manhã, do dia 11 mesmo ser preso em casa, tão logo havia chegado da injusta cadeia que o Habeas Corpus citado havia me livrado.

A Medida de Segurança foi aplicada, e mesmo com os protestos do Juiz Federal Flávio Oliveira Lucas, ela continuou sendo, praticamente ilegalmente, sendo "esticada", o que totalizou meses.

Os magistrados que se prestaram a isso, são os seguintes, além do Juiz Nobre Matta, todos do TRF2:

-Fabio Tenenblat.

-Flávio Roberto Souza.

Em resumo, o que ocorreu neste caso foi uma ULTRAJANTE VIOLAÇÃO aliada à uma TENTATIVA DE HOMICÍDIO QUALIFICADO.

E atualmente a solução que o mesmo grupo que a planejou deu, é a seguinte: ARQUIVARAM O PROCESSO, COM PEÇAS EM SEGREDO DE JUSTIÇA, para isso usando a Boa Fé de uma Juíza que nada sabia do que fora planejado: Dra. Ana Paula Rodrigues Mathias (completamente inocente neste caso).

Acuso como planejadores e mandantes, as seguintes Autoridades:

-Frederico Gueiros, à época Vice-Presidente do TRF2.

-Alexandre Libonati de Abreu, Titular da 2a. VFCriminal do TRF2.

-Artur Gueiros, procurador da República.

Os restantes, meros executores.

REQUEIRO, a instauração de procedimento criminal a que eu possa apresentar as PROVAS que possuo sobre este terrível acontecimento que poderia ter ceifado minha vida ou saúde física, além, é claro, dos Crimes Formais contra o Judiciário praticados por pessoas que juraram Defender a Lei e a Ordem.

REQUEIRO ser INTIMADO a apresentar PROVAS, e ser Ouvido a Termo.

Muito respeitosamente,

Marco Antonio Nunez Pereira
Inspetor de Polícia - mat. 266022/3
End.: Rua do Fialho, 3/601 - Santa Teresa - Rio de Janeiro - CEP 20241-160
Tels.: (21) 2222-1683 e 8215-6326

Saiba Mais... Petição ao Presidente do TRF2